O que limita um potencial talento nas empresas?

Começo este texto com uma provocação a todos que leem este breve artigo. O que limita os talentos nas empresas?

Vou citar 3 (três) segundo o meu ponto de vista neste momento. São elas:

  • Líderes despreparados
  • Burocracia
  • Falta de visibilidade

Líderes despreparados

São aqueles que não direcionam o seu time para o algo melhor, mas busca uma manutenção do status quo, onde precisa fazer o que tem que ser feito porque tem que ser feito. De fato, não existe uma liderança natural e tudo fica maçante, cansa e desanima o profissional que busca desafios.

Burocracia

A burocracia aplicada nas corporações visa garantir a qualidade das entregas, mas com o tempo se perde em regras cada vez mais limitantes e perde a aderência ao negócio. Se um talento enxerga que não adianta brigar para quebrar estes muros criados para proteger o status quo, fatalmente ele vai sair e o profissional que se esconde atrás dos velhos processos continuará gastando o dinheiro sem o devido ROI (retorno do investimento), e pior, sem agregar valor ao negócio.

Falta de Visibilidade

Para os talentos que estão voltados para o novo é importante ter uma visão do que acontece na empresa, pois lembre-se, estamos falando de potenciais recursos do mercado, pessoas que podem fazer a diferença. Não estamos aqui dissertando sobre pessoas regulares e sim de talentos que com o devido cuidado irão extrapolar limites e ajudarão na jornada rumo a evolução do seu negócio. Para isto deve existir transparência, pois assim aumenta o comprometimento e rotas podem ser criadas para um crescimento de ambos, negócios e talentos.

Esta não é a opinião de um profissional de RH e sim de quem se encontra à frente de projetos. Enquanto muitos trabalham para o novo, outros estão se segurando para não cair e isto pode decidir se a sua empresa retém ou não os talentos necessários. Termino aqui com a mesma provocação. O que te limita? Faça um exame de consciência e pense na mudança sempre.

Evandro Galvão

Evandro Galvão

Formado em Redes de Computadores, MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV e Professional Scrum Master I (PSM I) e PSK I (Professional Scrum com Kanban) pela Scrum.org. Membro atuante na transformação das Organizações através da melhoria contínua de processos, das relações humanas e mudança no Mindset. Fã de filmes e séries. Entusiasta e apoiador do movimento Ágil e busco a quebra de fronteiras para a sua aplicação, sempre visando a cadeia de valor.

You may also like...

3 Responses

  1. Alian Pazetto says:

    Acrescentaria a politicagem e o corporativismo. Essas coisas minam as empresas e nos tornam essa coisa limitada que somos no Brasil. Mas ótimo texto, meu caro.

  2. I couldn’t agree more- except I could! Haha

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *