O Ágil e o preço da mudança

A mudança num contexto geral

Como Gerente de Projetos acompanhei na maioria das demandas as famosas solicitações de mudanças, que se não forem gerenciadas podem contribuir para o insucesso do projeto. O PMBOK (guia de boas práticas de Projetos do PMI) possui um processo (4.5 na imagem abaixo) exclusivo para o Controle de mudanças e N processos possuem como saída solicitações de mudanças, para assim aumentar as chances do sucesso dos projetos.

Adaptação de Ricardo Viana Vargas – Baseado no PMBOK Guide 5ª Edição

 

Sabemos que uma mudança pode impactar pontos importantes, tais como o escopo, tempo, custo, riscos, qualidade e recursos humanos e por isso deve ser realizada com cautela.

Uma mudança pode acontecer em qualquer ponto do projeto, sendo na fase de demanda, planejamento, execução ou até mesmo no momento da validação do Cliente e quanto mais tarde ocorrer, mais aumenta o custo, conforme demonstra o gráfico abaixo:

fonte imagem: http://wpm.wikidot.com/conceito:caracteristicas-do-ciclo-de-vida-do-projeto

 

Imagine agora que você tem um Orçamento de R$ 1.000.000,00 (um milhão) e uma mudança pode aumentar em 10% este custo, gastando assim R$ 100.000,00 (cem mil) a mais. Sem dúvidas esta mudança deve ser avaliada quanto a sua viabilidade e seu impacto, mas nem sempre temos a opção de não aplicar a mudança. O contexto definirá se você deve seguir em frente ou não, pois suponhamos que o cenário inicial mudou e caso não ocorra a mudança, que aquele um milhão será dinheiro jogado fora, pois o projeto não cumprirá o seu objetivo. Na forma tradicional de se trabalhar com projetos, muitas vezes o Cliente somente verifica o resultado do trabalho na conclusão de cada fase ou no final do projeto, o que aumenta a chance de mudanças no momento em que será mais caro para o projeto e muitas vezes com um prazo apertado.

A mudança no Ágil

O manifesto ágil prega em um dos seus princípios que:

“Entregar software funcionando com frequência, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos.”

A quebra das entregas em pedaços menores faz com que o Cliente realize validações em períodos mais curtos, realizando as mudanças de forma antecipada (mais baratas pelo gráfico acima) e mantendo o escopo coerente com a necessidade do Cliente, ou seja, focada na entrega de valor, conforme outro princípio do manifesto ágil que diz:

“Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.”

Além do fato de se manter coerente com o objetivo final, algumas mudanças podem aumentar os benefícios do projeto, que só foi possível após realizar experimentos com as partes já validadas, ou seja, com o ganho de experiência do produto entregue até o momento.

O fato é que mudanças fazem parte do contexto de projetos e é inevitável. Sendo assim, mesmo com uma abordagem mais tradicional, você pode direcionar o seu Cliente para o caminho que priorize o valor para o Negócio e isto depende somente da sua postura frente aos processos da Organização. Sugira o Desenvolvimento em ondas, já previsto no PMBOK 5 e versões anteriores. Explique os benefícios de se mudar ou errar mais cedo.

Não deixe que as mudanças te levem ao fracasso, pois ser ágil é uma questão de atitude e não de processos. Melhore sempre!

Evandro Galvão

Evandro Galvão

Formado em Redes de Computadores, MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV e Professional Scrum Master I (PSM I) e PSK I (Professional Scrum com Kanban) pela Scrum.org. Membro atuante na transformação das Organizações através da melhoria contínua de processos, das relações humanas e mudança no Mindset. Fã de filmes e séries. Entusiasta e apoiador do movimento Ágil e busco a quebra de fronteiras para a sua aplicação, sempre visando a cadeia de valor.

1 Response

  1. Leslee says:

    I spent a great deal of time to find something similar to this

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *