Design Sprint: Sobre coragem e agilidade!

 

Se você faz parte do mundo de Desenvolvimento de Software com certeza já deve ter ouvido falar sobre Design Sprint, e mesmo que não seja desta área o conceito vai muito além do software e vale a pena investir um pouco do seu tempo para entender essa excelente ferramenta sobre criação e validação de uma ideia.

Mas o que afinal significa Design Sprint? Pra que serve? Vamos lá!

Design Sprint trata-se de um processo baseado em Design Thinking criado pela Google Ventures (braço de investimentos da Google) para validação rápida de uma ideia antes de seu lançamento oficial. E isso vale tanto para criar novos aplicativos, novas funcionalidades em sistemas já existentes ou mesmo para produtos físicos.

Qual a vantagem da Design Sprint nisso tudo em face a modelos tradicionais:

  • Ser ágil na resposta a uma demanda de mercado;
  • Economizar um dinheiro razoável, pensando que em apenas uma semana pode-se obter um resultado bastante efetivo sobre a proposta/produto a ser lançado;
  • Validar a ideia com um público heterogêneo e obter um rico feedback deles;
  • Obter engajamento e motivação do time que geralmente está envolvido no dia-a-dia tirando os da rotina para criação de algo novo.

Abaixo um desenho onde mostra-se a evolução de parte do ciclo de um produto, que obviamente continua sendo aplicado na construção dele, mas encurta-se o processo para validar se realmente vale a pena ser lançado da forma como foi proposto inicialmente.

A Design Sprint segue um processo durante 5 dias de trabalho, onde se obtém muito foco e produtividade, da seguinte forma:

No primeiro dia (segunda-feira): você vai aprender a definir e mapear o problema que você vai resolver.

No segundo dia (terça-feira): a ideia é que cada pessoa crie sketchs (rabiscos) descrevendo todo o fluxo de um MVP e suas telas, baseado no que foi definido no primeiro dia de trabalho.

No terceiro dia (quarta-feira): serão tomadas decisões para escolher os melhores desenhos e ideias para torna-las factíveis e testáveis.

No quarto dia (quinta-feira): serão criados os protótipos de alta fidelidade, baseados nos desenhos escolhidos na quarta-feira.

No quinto e último dia (sexta-feira): os clientes ou usuários-chave vão testar o produto e dar os feedbacks sobre a utilização dele.

Olhando o processo acima parece ser algo bem simples de se implementar, e É!!!

Mas quais as dificuldades de se implementar esse processo na sua empresa? O de sempre, a Cultura! Como diz a frase atribuída a Peter Drucker: “a cultura engole a estratégia no café-da-manhã”. As rotinas e principalmente a falta de coragem, que permeia boa parte do mundo corporativo é o que limita as pessoa a mudarem seus processos e parar de investir dinheiro e mais dinheiro em burocracias que não trazem valor ao negócio.

Obviamente é necessário ter alguns perfis que conheçam deste processo para auxiliar na condução e também na preparação do protótipo. Entenda os papéis abaixo:

  • Sprint Master: Deve conhecer o processo de Design Sprint de forma detalhada e também ferramentas que incitem a criatividade das pessoas, assim como ter habilidade de obter feedbacks dos clientes e demais stakeholders.
  • Designer/Engenheiro/Especialista: Um profissional sênior é fundamental neste processo, seja um bom engenheiro, designer, etc., afinal o protótipo precisa ser produzido em um único dia para validação dos clientes;
  • Donos e usuários do Produto: Pessoas que realmente entendam do negócio, seus processos, suas limitações e que possam decidir sobre ele.

Ademais, trata-se de mais uma excelente ferramenta de apoio.

Neste mundo onde as mudanças e respostas precisam acontecer de forma cada vez mais rápida, a Design Sprint auxilia as empresas que realmente tem coragem de parar, por um breve tempo, para refletir seus processos e produtos de forma eficaz.

Fonte: Sprint. O Método Usado no Google Para Testar e Aplicar Novas Ideias em Apenas Cinco Dias

 

Alian Pazetto

Formado em TI, também em Marketing e Vendas, MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV e Certified Scrum Master (CSM) pela Scrum Alliance. Apaixonado pelo mundo de Tecnologia e pela Transformação Digital (e humana) na vida das pessoas. Entusiasta do movimento Ágil, pai do Nicolas e do Davi e aprendiz de músico nas raras horas vagas.

You may also like...